Gestão de Hildo do Candango busca parceria com governo estadual para continuar investindo em infraestrutura urbana

Em tempos de crise econômica obter recursos financeiros para os municípios é uma batalha travada por quase todo representante de prefeituras brasileiras. No município de Águas Lindas de Goiás, o prefeito Hildo do Candango, ao falar sobre obras de infraestrutura que ocorrem na cidade, destacou a importância do trabalho em equipe para se obter êxito na gestão.
“Foi um trabalho árduo de toda a equipe que vai desde a concepção do projeto até a garantia da obtenção dos recursos para sua efetiva execução que está acontecendo com agilidade”, disse Hildo do Candango em entrevista à assessoria de comunicação da Prefeitura.
As obras do chamado Complexo Pérola abrangem os bairros Setor 01, Cidade Jardim, Jardins Pérola I e II, Mansões Centro-Oeste, Mansões Village e Jardim Alterosa. Segundo a assessoria, todas as ruas do Setor 01 já foram asfaltadas, deve começar agora a implantação dos meios-fios.
“Está tudo dentro de uma programação preestabelecida e estamos avançando para outros bairros, mas é necessário que a população coopere não jogando água de suas residências nas vias, isto pode levar ao atraso no serviço e interferir na qualidade do serviço”, garante o secretário municipal de Obras, José Fernando.
O motivo que possibilitou a execução de obras em Águas Lindas, mesmo em momento de crise econômica, foi, segundo o próprio prefeito Hildo, sua gestão ter pautado o trabalho em cima de parcerias.
“Temos que agradecer o empenho do governador Zé Eliton que foi coordenador da criação do programa “Goiás na Frente” que possibilitou esta parceria e que não tem beneficiado somente a nossa cidade, mas quase todos os municípios do nosso estado”, disse o prefeito.
Esta realidade vivida pelo governo de Hildo do Candango em Águas Lindas realmente impressiona, ainda mais se tivermos como base dados revelados no final do ano passado pela Confederação Nacional de Municípios que mostravam que 63% das prefeituras não irão conseguir fechar as contas no azul. Os dados também mostraram que a maioria dos 5.570 municípios brasileiros precisa do repasse do governo federal e dos Estados para sobreviverem.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here