Mesmo após oito meses fechado, Lixão da Estrutural ainda gera gastos para o GDF

Brasília(DF), 12/08/2015 - Lixão da Estrutural _ incendio. Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles

Apesar de o lixão da Estrutural não receber mais lixo domiciliar desde 20 de janeiro, até o mês de setembro, foram gastos quase R$ 9 milhões para manter o local.

 

Por mês, a despesa é de mais de R$ 1 milhão, de acordo com o SLU. Isso, porque o lugar continua recebendo rejeitos da construção civil, o que gera custos.

 

Além disso, os 40 milhões de toneladas de resíduos do local são monitorados para diminuir os impactos ambientais, o que também provoca gastos.

 

O diretor adjunto do órgão, Paulo Celso dos Reis, esclarece porque é necessário fazer esse controle do lixo no local.

 

O lixão da Estrutural ainda recebe 130 mil toneladas de resíduos da construção civil, por mês e cerca de seis mil toneladas diariamente.

 

 

Segundo o SLU, a partir de novembro, 56 mil toneladas mensais serão recicladas no local. Alguns rejeitos serão triturados e usados para criar materiais reciclavéis como cascalho e brita.

 

 

A ideia é usá-los em obras da Novacap e do DER a partir de 2019, como explica o diretor adjunto do SLU, Paulo Celso.

 

Segundo o SLU, uma equipe da Universidade de Brasília foi contratada para estudar maneiras de recuperar a área do lixão da Estrutural de forma mais rápida. A previsão é que, caso nenhuma alternativa seja encontrada, essa recuperação pode demorar cerca de 40 anos.

 

Dayana Vítor – EBC

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here