PF investiga superfaturamento de 208 milhões em obras do BRT-Sul no Distrito Federal

De acordo com os investigadores, agentes públicos e construtoras lideravam um suposto esquema de corrupção em obras públicas no DF

A Polícia Federal cumpriu, nesta sexta-feira (11), 15 mandados de busca e apreensão na segunda fase da Operação Panatenaico. A ação investiga suposto superfaturamento de R$ 208 milhões em obras do BRT-Sul no Distrito Federal. De acordo com os investigadores, agentes públicos e construtoras lideravam um suposto esquema de corrupção em obras públicas no DF.

Do total de ordens judiciais, 13 foram cumpridas em Brasília, uma em Ribeiro Preto, no interior de São Paulo, e uma na capital paulista. A Polícia Federal investiga crimes como corrupção passiva e ativa, associação criminosa, fraudes em licitação e lavagem de dinheiro.

O nome da operação é uma referência ao Stadium Panatenaico, onde eram realizadas competições na Grécia Antiga, anteriores aos Jogos Olímpicos.

A primeira fase da Panatenaico foi deflagrada em maio do ano passado e prendeu os ex-governadores do Distrito Federal, José Roberto Arruda e Agnelo Queiroz, além do ex-vice-governador Tadeu Filippelli.

Na última semana, a Justiça Federal aceitou três denúncias dessa primeira fase da Operação, onde o Ministério Público Federal pede a condenação de 12 pessoas, entre elas, Arruda, Agnelo e Filippelli. Os procuradores denunciaram um suposto esquema de corrupção envolvendo obras do Estádio Nacional Mané Garrincha. A obra da arena foi contratada inicialmente por cerca de R$ 690 milhões. Mas, após termos aditivos, o valor final alcançou R$ 1,5 bilhão, se tornando o estádio mais caro da Copa do Mundo de 2014.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here