Suspiro para o comércio

Intenção de consumo das famílias do DF tem crescimento em maio

A pesquisa demonstra que 76% dos entrevistados se sentem mais seguros no atual emprego e 49,9% acreditam que a renda atual melhorou

A intenção de consumo das famílias brasilienses cresceu em maio de 2018 na comparação com abril e atingiu 97,4 pontos, contra 96,9 registrados no mês anterior. É o segundo melhor resultado da série desde maio de 2015, quando o índice atingiu 101,1 pontos, de acordo com a pesquisa de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) do Distrito Federal, divulgada pela Fecomércio-DF. Em relação ao mesmo período do ano passado, houve crescimento de 7,9 pontos na intenção de consumo dos brasilienses. Em maio do ano passado, a pesquisa havia registrado 89,5 pontos – apesar disso, o indicador total ainda se mantém abaixo da zona de indiferença – 100 pontos –, refletindo uma percepção de insatisfação com a situação da economia.

O presidente da Fecomércio-DF, Adelmir Santana, explica que a alta é provocada pela melhora do poder de compra das famílias. “A recuperação da intenção de consumo ainda é lenta, estamos bem distantes dos níveis registrados entre 2010 e 2012, mas acredito que as vendas do comércio de bens e serviços voltará a crescer em 2018 e, assim, retomar o consumo como antes”, disse Adelmir. O ICF varia de 0 a 200 pontos, sendo que resultados abaixo de 100 pontos significam insatisfação e acima de 100, satisfação em relação às condições de consumo.

A Pesquisa de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) é um indicador com capacidade de medir, com a maior precisão possível, a avaliação que os consumidores fazem sobre aspectos importantes da condição de vida de sua família, tais como capacidade de consumo, atual e de curto prazo, nível de renda doméstico, segurança no emprego e qualidade de consumo, presente e futuro.

           

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here