Hospitais públicos realizam mutirão de reconstrução mamária

Um mutirão de reconstrução mamária foi realizado na última semana pelo Hospital Regional de Taguatinga (HRT) voltado para mulheres que tiveram câncer de mama. O projeto contou com pelo menos 48 cirurgias. Outros hospitais, como o Hospital Regional da Asa Norte, Hospital Daher e o Instituto Capital Brasil, e a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica abraçaram a causa e organizaram o mutirão que atendeu 48 mulheres para procedimento cirúrgicos e quatro mulheres para tatuagem 3D, que refazem a aréola e mamilo retirados juntamente com a mama devido ao câncer.  A médica-cirurgiã Izabelle Barbosa Montanha foi a responsável pelo projeto.

Para fazer a cirurgia, as pacientes foram avaliadas e realizaram exames pré operatório e consultas regulares, pois o risco para as pacientes nesse procedimento cirúrgico é o mesmo de cirurgias que são necessárias, mas não urgentes. Os projetos vão continuar em ação. “As datas para o evento em 2019 ainda não foram definidas, mas já estamos planejando o projeto para o mês de novembro, o Novembro Azul”, afirmou a médica.

Aproximadamente 100 profissionais voluntários participaram, incluindo médicos cirurgiões, anestesistas,  enfermeiros e técnicos, pessoal de administração, limpeza, residentes da área de saúde. Voluntários da comunidade costuraram camisolas e almofadas para as mulheres participantes e pessoas que auxiliaram no câncer

As mulheres selecionadas para realizar as cirurgias são as que estão na lista de espera do Sistema Único de Saúde para cirurgia de mama e o mutirão ajuda na redução de tempo de espera de cirurgia.

Histórico

O projeto existe há três anos e foi desenvolvido em 2016 por médica ginecologista Josiane Fernandes Ferreira Rodrigues, estimulada pelo cirurgião plástico Ognev Meireles Cosac, que tiveram uma conversa e compartilharam o sonho de ajudar mulheres que são vítimas de câncer de mama. Em seu primeiro ano, o projeto atendeu 20 mulheres e contagiou os servidores do Hospital Regional de Taguatinga (HRT) que se mobilizaram no ano seguinte atendendo mais mulheres e atraindo mais pessoas com o coração disposto a ajudar.  O movimento Outubro Rosa nasceu na década de 1990. 

Por Ana Paula Teixeira

Fotos: Divulgação

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here